“Um Filme de Terror Sem Fim”
“A horror movie with no end”

O jornal Financial Times, em sua edição de hoje, não perdoa. Publicou um duro editorial sobre a crise política e econômica no Brasil. Com o título “Recessão e corrupção: a crescente podridão no Brasil”, o texto diz com muita precisão que a “incompetência, arrogância e corrupção abalaram a magia” do país. A publicação diz que os recentes fatos levam o Brasil a ser comparado com um “filme de terror sem fim” e que, diante do risco de impeachment da presidente Dilma Rousseff, “tempos piores ainda podem estar por vir”. Leia a íntegra do editorial do FT, em inglês, clicando aqui.

The Financial Times newspaper is unforgiving. It has published a tough editorial on the political and economic crisis in Brazil. With the title “Recession and graft: the growing rot in Brazil”, the text says very accurately that “incompetence, arrogance and corruption have shattered Brazil’s magic spell.” The Financial times also says that recent facts led Brazil to be compared to a “horror movie with no end” and that, given the risk of president Dilma Roussef’s impeachment, “worse times are still to come for Brazil.” You can read the complete Financial Times editorial by clicking here.

ft

Share

Não se Engane: Acabou
Don’t be fooled: it’s over

Nada como almoçar com quem sabe das coisas e tem acesso às pessoas certas. A verdade é que, para todos os efeitos e apesar das bravatas de fim-de-festa de nossa Rainha da Mandioca, a farra acabou para ela e sua gang petralha. As conversas entre políticos agora só tratam de cargos a serem ocupados no pós-Dilma. Já existe até um ministério paralelo com nomes de peso, aguardando a posse, depois dessa transição lá não muito silenciosa. Tudo depende agora de como se dará a negociação entre PMDB, que empurra a Mulher-Sapiens para o abismo, e o PSDB, a dolente Oposição de Sofá que gostaria de ver tudo cair no seu colo sem o mínimo esforço. As negociações entre os dois partidos seguem em três vertentes: o apoio do PSDB a um próximo governo Temer, desde que somente a Bonequinha de Luxo caia fora; o apoio do PMDB a um eventual governo tucano, que chegaria ao Planalto após a cassação do diploma da chapa Dilma-Temer; e finalmente, um acerto entre PMDB-PSDB diante de uma eleição geral a ser convocada a partir do impeachment de Dilma e Temer.

Nothing like having lunch with the right people, those who are in the know and have access to the “right” people. The truth of the matter is that, for all practical purposes and despite the last-minute bravado by the Cassava Queen, the party is over for her and the rest of the petralha gang. Talks among politicians now are dealing only with posts to be filled during the post-Dilma. There is a parallel cabinet, already, with names defined for each cabinet seat, just waiting the end of this not-so-silent transition. All depends now on the negotiations between PMDB, the party pushing the Woman-Sapiens over the cliff, and PSDB, the lazy Sofa Opposition that would love to see everything falling on its lap with no effort on its part whatsoever. Negotiations between the two parties follow three leads: 1. the PSDB support to a Temer administration, as long as only the “Hepburn from Hell” is thrown out; 2. the PMDB support to a possible tucano (PSDB) administration that would fill in the gap after the Dilma-Temer presidential diploma is legally voided; and 3. an understanding between PMDB and PSDB to share the spoils if a general election is held three months after the Dilma-Temer impeachment.

Share